Desafio Literário | O que a vida fez de mim?

O desafio literário está quase chegando ao fim e o que eu aprendi com as leituras adquiridas?

Eu aprendi que por mais que lutemos para sermos diferentes uns dos outros, somos mais semelhantes do que imaginamos. Cada história de vida aqui relatada me leva a algum momento de minha própria história, principalmente este texto da Darlene porque me faz recordar de todos os sonhos e projeções que eu já fiz a mim mesma e nunca se realizaram, mais do que isso até, a satisfação pessoal que eu costuma depositar nas conquistas pessoais que nunca vieram e me deixaram frustrada e infeliz. O maldito sonho de ser alguém na vida e ter o máximo de coisas que a gente puder e ainda dormir serenamente repousando sobre um status que jamais será alcançado. Mas, ainda bem que eu conheci muitos autores novos com ideias revolucionárias, tive alguns ótimos professores de esquerda na faculdade e adquiri muito conhecimento sobre mim mesma apenas observando a humanidade em silêncio.  

Darlene Regina – O que a vida fez de mim?

O fato é que todas as pessoas pensam em suas vidas – Alguns pensam antes de dormir, na solidão de seus quartos. Outros preferem um cantinho, uma paisagem bonita, o chuveiro – há mil possibilidades, mas todos param hora ou outra e pensam sobre os rumos que a estrada tomou. Pensam? É, acredito que pensem. Prefiro partir do pressuposto que sim, que o pensar na vida é parte da vida de todos. Mas vejo que estou procrastinando a questão, a resposta que este texto deveria revelar: O que a vida fez de mim? Pouca coisa na verdade. A maioria dos feitos ou não feitos é nossa mesmo. A vida me fez passar ano a ano, me fez estudar e passar no vestibular, e nas provas da faculdade, e na OAB, e no concurso pra inspetor de alunos. A vida me faz pegar ônibus pelas manhãs e ir para o trabalho e depois para o curso e depois novamente para casa – ufa! A vida me fez, acima de tudo, cansada – Cansada de correr em direção a tantos sonhos que parecem distantes, cansada de amar sem ser amada, cansada de lutar e cansada demais até mesmo para desistir. E sabe quando eu penso em tudo isso? Quando estou em um ônibus cheio e encosto a cabeça na janela e vejo a vida passar rápido em grupos de jovens sorridentes e casais felizes. Penso na vida quando cozinho e sinto o coração apertado de saudades das coisas que gostaria de ter – a felicidade de um amor que me olhe cozinhar, vestindo roupas largas, os cabelos presos com rabo de cavalo – e me ache linda assim, preparando uma refeição e cantando e, quando penso nestes pequenos prazeres que o universo insiste em me negar, percebo que a vida não me fez apenas uma pessoa cansada, mas sim uma pessoa cansada e triste. Aos 31 anos, a melhor definição é essa – cansada e triste. Mas acaso não é a vida um eterno poço de incertezas, dramas e solidão? A vida fez de mim apenas mais um número entre tantos números. Mais uma história fadada a um final não tão feliz. A vida fez de mim a garota que espera uma reviravolta, uma carta de amor que nunca chegará. Não vivo para escrever e sim escrevo para viver – me reconheço como um livro em branco, preenchido a cada dia com uma profusão de palavras com as quais ninguém se importa de verdade. E escrevo com o sangue da alma – sou, portanto, livro em branco e tinteiro. A vida me fez lutadora, me envolveu em tantas atividades, em tantos ideais – e eu sei que talvez devesse sorrir mais em meio a toda correria que permeia meus dias – e eu tento, tento de verdade e algumas vezes até consigo – sinto que me tornei tanta coisa, e ainda estou construindo outras tantas faces de mim mesma, enquanto luto para colocar num baú de ferro no fundo do oceano do coração todos os sonhos que se tornaram apenas rascunhos no livro dos meus dias e cuja não realização ainda dói tanto.


BIOGRAFIA: Darlene Regina, 31 anos, apaixonada por livros, música e culinária, militante socialista, formada em direito, estudante de música, inspetora de alunos. Uma eterna menina que segue as trilhas que o vento lhe sopra aos ouvidos e não os “mapas-receitas-de-bolo” que as pessoas costumam dizer imprescindíveis ao sucesso. Carrega sempre na bolsa um livro, um caderno ou papel e uma caneta pois nunca sabe quando o próximo verso ou personagem pode decidir aparecer em sua vida.

BLOG


 

As inscrições para participar do Desafio Literário ainda estão abertas, restam apenas 1 vagaSe você tem alguma coisa a dizer a respeito do que a vida fez com você, envie o seu trabalho e concorra as últimas vagas no top 10 autores. Toda dia um autor diferente é divulgado aqui no blog e o próximo pode ser você. Então, partiu exercitar a escrita criativa!

 

 

4 comentários sobre “Desafio Literário | O que a vida fez de mim?

  1. “A vida me fez, acima de tudo, cansada” e têm desses sentimentos de saudade de coisas que não se viveu ainda, bem isso! Que texto!

    Ah! Parabéns Maria, pela iniciativa do projeto! ;*

    Curtido por 1 pessoa

  2. Republicou isso em Devaneios e Poesiase comentado:
    Chegar em casa e ver um e-mail da Maria Vitoria, autora do blog Estranhamente me comunicando sobre a publicação de um texto que enviei para um desafio literário que ela está promovendo, me deixou bastante feliz! Estou repostando aqui o texto selecionado e, acima de tudo, convido-os a conhecer o blog Estranhamente, que está repleto de textos e fotos muito bem escritos e cheios de sensibilidade!

    Curtido por 1 pessoa

Comente sobre isso

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s