Maratone-se #5

São Paulo, 21 de setembro de 2018.

Dia de feira. Pastel com ovo e cerveja de 575 ml de Brahma. Axilas transbordando o sol que a semana regou com chuva. Boleto da faculdade para pagar com doze dias em atraso. Vinho de dez reais de 1 Litro às 10:03 da manhã só para sentir fervilhar o fígado a muito tempo decomposto.

Lucca, eu nunca fui simpática aos trejeitos infantis e jamais cogitei ao fato de vaporizar o cheiro de johnson’s baby, mas quer saber? Eu bem que roubaria sua colônia para me banhar nos dias de temperatura de aproximadamente 16º graus. 

Hoje senti tua gosma em forma de saliva pingar em minha boca enquanto te jogava para o alto e afirmava que você era o Batman que salvava Manhattan. Você sorria e gaguejava uma dialética falsa. Eu? Ria com a desgraça salivar de forma úmida em meu próprio corpo.

Uma vez há 4 anos atrás eu ganhei um leão de Carolina em um de nossos aniversários de namoro e hoje eu te vejo brincar com este mesmo leão e rir, e arrastar pelo sofá de couro rachado e esquecer este mesmo leão no escuro de nossas fragilidades.

Acho gozado o fato de você ser idêntico ao seu pai quando criança. Até os mesmos olhos de jabuticaba e as coxas de formato de calabresa de fast food. Sabe, seu pai e eu há anos não nos damos tão bem. Há anos não nos falamos como costumávamos fazer quando eramos crianças. Há anos estamos nos limitando a apenas: Eai…

Quer saber? Espero que você não seja igual ao seu pai. Espero imensamente que você não esquente os bancos da igreja e finja ser algo que você não é. Lucca, eu queria imensamente te mostrar todas as insanidades do mundo e fazer você acreditar que a vida ainda tem salvação.

Nunca pensei em ser tia. Nem se quer gosto de criança. Mas espero que dá próxima vez que você gorfar nós possamos rir de uma nojeira, mesmo eu estando com pressa para sair de casa para encontrar com outro escritor. Claro, desejo imensamente que você possua amor pelos livros e aprenda nas páginas muito mais e mais rápido do que eu, e que todo o tempo por mim desperdiçado com suicídios e infelicidades sejam preenchidos por você por gorfo pós leite e gosma.

Você irá crescer e se tornar um ser humano com glóbulos de besouro como todos os outros, mas ao menos que você tenha consciência de que tudo não passa de um sopro.

Com amor,

Estranhamente, tia.


maratone-se

4 comentários sobre “Maratone-se #5

Comente sobre isso

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s