Como teve inicio minha vida de leitora

Apesar de sempre gostar de escrever e usar da escrita minha válvula de escape, nunca fui muito de ler. O único formato que eu me arriscava a ler poucas linhas eram os gibis da Turma da Mônica. Até que, um dos frequentadores do antigo restaurante que minha mãe costumava trabalhar olhou para o que eu trazia em minhas mãos, fitou meus olhos e indagou: “Você não tem mais idade pra ler esse tipo de coisa, vá procurar algo mais maduro pra ler.” Eu só tinha sete anos. O que então, seria algo maduro para leitura?Depois deste episódio, fiquei me sentindo deslocada, sem saber realmente se eu era grande demais, apesar de sempre ter tido uma estatura alta ou se eu era criança demais com grande apego a gibis e suas aventuras que eu nunca poderia fazer parte.

Digamos que, só fui pegar gosto assíduo pela leitura depois que entrei na faculdade de Serviço Social, e vejam vocês que já passei por outras duas graduações, mas nada com que fizesse meu coração inchar o bastante capaz de me esbanjar em parágrafos, virgulas, personagens, tempos verbais e cheiro de capa nova. Bem depois dos vinte anos de idade, mais precisamente aos 25 de idade é que a coisa deslanchou… Para alguns, isso é algo surpreendente já que uns tantos consideram esta idade avançada demais para tomar gosto pela leitura, outros tantos dirão que iniciei jovem comparado a média de leitores ativos no país. Eu, simplesmente gosto de pensar que iniciei a tempo, assim como as demais coisas em minha vida. Grande parte do que sou hoje, é derivada de minha recuperação pós tentativa de suicídio. Uns dizem que quando você tenta se matar e fracassa, uma nova vida se inicia do zero com a possibilidade de moldar-se tudo de novo. Eu, por exemplo, gosto de pensar que após este fato eu conheci um belo, ferrenho e glorioso homem que salvou minha vida. E não… Não tem nada haver com Deus e essas coisas. Bukowski é o grande salvador de minha pátria. Me lembro de quando voltei para casa após uns dias no hospital e ganhei de Carolina meu primeiro livro do velho safado. Isso me mudou para sempre, me fez ter ânsia de ler cada linha até me engasgar. Me fez saltitar de, Misto Quente até as prateleiras das bibliotecas públicas de São Paulo. Me fez ler três livros por semana e voltar a escrever com toda a potência das maquinas a vapor.

Meu inicio como leitora só começou de fato, quando aprendi a por no papel tudo o que eu sentia com a intenção de tirar de minha mente tudo o que me perturbava. E assim, sou eu até hoje e se o universo me permitir, até o fim dos primórdios.


PROJETO MARATONE-SE DE OUTUBRO

maratone-se

6 comentários sobre “Como teve inicio minha vida de leitora

  1. Também sempre amei escrever, mas também sempre me aborrecia de ler. Até que se entende que a leitura, tal como a escrita, são mecanismos que nos transportam para outras dimensões. Podemos ser alguém que não apenas nós próprios 😉

    Curtido por 1 pessoa

  2. Assim seja! Quero pegar carona nesse trem… rs… andei mais isolada do que de costume, estou retomando com mais determinação alguns planos. Tenho uma história parecida com a sua… peguei gosto pela leitura na faculdade. Tive minhas pausas, por questões religiosas. Tentativa de suicídio fez parte da minha história tbm, ainda não consegui falar disso publicamente, você é a quarta pessoa que toco no assunto…coisas da vida de quem viveu sob pressão sem nenhuma proteção. A escrita é realmente uma maneira de desfazer todo mal que ficou preso na garganta a cada conflito que não consegui enfrentar. Sigamos na escrevência da nossa libertação. ❤

    Curtido por 1 pessoa

Comente sobre isso

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s