A democracia brasileira e o amor ao ódio

Um branco em tom de jaleco atravessa um muro preto.
Um preto em tom de sujeira pisa num chão branco.

Os dois tons se unem em comunhão a troca – uns vendem pinos e papéis – uns oferecem narizes e notas altas.

Há pedras rolando nas mãos infantis.
Há pedras que fumam. Há pedras que matam.

Vermelho combina com olhos esfumaçados – que combina com sorrisos amarelos – que combinam com o azul da fome – que combina com o verde da bandeira – que não combina com o preto das bulas – que combina com o cinza da cidade baixa.

Vida que seguiu.
Vida que não segue mais.

2 comentários sobre “A democracia brasileira e o amor ao ódio

Comente sobre isso

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s