Carta para alguém desconhecido

Carta para alguém desconhecido

Caro, estranho

 

Enfrento a página em branco enquanto coço meu coro cabeludo. Trago meu coro descamado e sensível, talvez por muita água quente de chuveiro ou talvez pelas muitas noites em claro sem dormir. De certa forma me sinto cansada, sinto meu corpo pender para um abismo frio e solitário, por mais que isso seja deprimente e triste, ainda é uma beleza extremamente poética diante dessa margem entre uma queda livre e o fincar dos pés em solo seguro. Por vezes, me sinto como um pássaro preso em meu próprio ninho, construído pelo amor que cerca minha existência ao mesmo tempo em que olho incessantemente por uma janela invisível que me convida a voar para o encontro de minha inalcançável liberdade.

Sabe, neste exato momento estou a observar o reflexo do sol nos vidros e nas latarias dos carros e esses reflexos parecem estrelas que brilham em noites quentes de verão nos convidando a fazer um pedido ao céu. A cor das poucas árvores que meus olhos conseguem alcançar perderam aquele verde natural e isso faz com que os carros e as pessoas que passam pela grande avenida se sintam menos protegidos e satisfeitos, assim como suas vidas, assim como todos os indícios de toda solidão que também os cercam. Se você pudesse ver através dos meus olhos e enxergar as coisas como eu enxergo, saberia como é ver o riso preso em algum lugar escuro dentro de todas as pessoas que meus olhos topam enquanto eu caminho catando os cacos de vidro que estes corpos de olhos tristes soltam pelo caminho da rotina que os aprisionam.

Hoje é o último dia deste ano tão nebuloso e retrógrado. Talvez isso tenha ajudado as pessoas a ficarem muito mais sucessivas ao abandono, a solidão e também as transformações permanentes. Creio ainda, que todo o furacão que tivemos que passar para sustentar nossos telhados sensíveis e doces como glicose, serviram para nos deixar um pouco mais corajosos e resistentes, capazes de erguermos um planeta bem em cima de nossas próprias cabeças só para celebrar as descobertas que fizemos de nós mesmos.

Ainda hoje será amanhã e amanhã nada mudara na vida, ao menos que acreditamos que todo dia nada muda e os planetas não são sólidos o bastante para que outras angustias como as nossas possam pairar junto com um ar de inseguranças mesclado com poeira cósmica.

Com amor,

A ESTRANHAMENTE.

 

 

2 comentários sobre “Carta para alguém desconhecido

  1. Fantástico!!! Profundo, verdadeiro e de uma beleza imensa. Parabéns mesmo!! É lindo a maneira como você escreve!

    Curtir

Comente sobre isso

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s