Trocas com, Renata Leão

O que eu aprendi na vida noturna de São Paulo, Maria Vitoria

Eu aprendi a beber. A sofrer por amor. A usar drogas. A ficar com medo da polícia. A chorar. A dormir nas calçadas. A voltar pra casa. A escrever crônica. A comer. A beijar garotos. A beijar garotas. A frequentar baile funk. A ficar perdida na estrada. A ver prostituição. A ver travestis fazendo programa. A ver homens fazendo programa. A ver crianças fazendo programa. A observar quadros de arte. A assistir peças de teatro. A dançar na balada. A cortar os pulsos. A observar as estrelas.

Muitas das coisas que eu aprendi foi de forma solo, de forma rasgada, de forma tímida, de forma curiosa, de forma órfã, de forma bem dolorida. Mas é isso, as formas formaram os meus fragmentos que formaram minha integridade, que formaram meus pesadelos e que formaram minha frágil subjetividade.

A vida é feia e bela ao mesmo tempo na vida noturna de SP. Mas creio que a feiura aguça o ser social e a beleza é uma espécie de pecado que nem a Eva desejaria cometer.


As lágrimas que nunca vieram, Renata Leão

Em pé debaixo do chuveiro ligado a água morna escorre pelo meu corpo.
Com as mãos sobre a cabeça e olhos estáticos desesperada me encontro.
É uma bagunça interna tão grande que eu já não sei o que me causa desespero.
Só o sinto.
Vontade de abrir minhas entranhas e tirar de mim a fonte de angústia e desespero.
Vontade de dar vazão ao grito preso na garganta.
Mas os residentes da casa não entenderiam tamanho desespero ou loucura.
Chorar?
As lágrimas não descem junto a água do chuveiro.
Elas estão presas assim como eu.
Dizem que chorar alivia a alma mas elas teimam em não cair e não se formar.
Esse impostor dentro de mim tira minha sanidade.
Espero um dia me ver livre dele.
O banho não ameniza 10% do que sinto nem leva pelos encanamentos a fonte de angústia que me desespera.
Desligo o chuveiro e volto para cama.

9 comentários sobre “Trocas com, Renata Leão

  1. Amo nossas trocas. Nunca imaginei nossa interação, aliás você é uma de minhas primeiras referências. Gratidão ao destino por nós apresentar e a você por inspirar e apoiar ❤. Sucesso pra nós, maravilhosa.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Acho que a gente sempre aprende de primeira instância por influências de terceiro. Seja quando observando alguém fazer algo errado ou certo, seja quando um terceiro nos ensina algo de forma direta errada ou certa.

      Desde que a gente nasce a gente tá aprendendo algo com o outro antes de aprendermos de forma solo. A vida noturna de São Paulo não foi diferente. Aprendi muito pelas ruas da cidade e isso me tornou o que sou hoje. Também aprendi muita coisa boa nas ruas e isso foi mega importante.

      Curtido por 1 pessoa

Deixe uma resposta para estevamweb Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s