Eu, mulher sou flor

eu, liri(c)o

exalo o perfume

do teu corpo

e se me der lírios

dê-lírio de prazer

eu, girassol

você, meu sol

juntos, faíscas

de luz

eu, rosa

você me desabrocha

e rosa

sua boca fica depois de encontrar meus lábios

depois de alguns dias quentes

e outras noites frias

deixo que algumas pétalas caiam pelo chão

para que você se lembre

das minhas flores

ingênuas

– e vou

eu, jardim

não corte minhas flores

para fingir amor por mim

escolhi

chegar e partir

antes que você me parta em pedaços menores

antes que joguem flores mortas no meu caixão

– aqui não!

eu, flor

nos lugares mais improváveis

floresço

eu, mulher

transparente

mas não invisível

feroz

me sinto

minha

louca

existo

resisto

insisto

isto basta

Autora: Karoline do Amaral


Karoline Cardoso do Amaral nasceu em Feira de Santana no dia 16 de novembro de 1999. É acadêmica de licenciatura em Letras Vernáculas na Universidade Estadual de Feira de Santana e poeta de coração. Foi aos 14 anos que o amor pela escrita bateu à porta do seu coração e pediu para fazer morada eterna. Desde então, na escrita ela encontra alento, cura, redenção e a si mesma. A autora divulga seus escritos no ambiente virtual através da página do instagram (@versoscafeinados) e prova da poesia nas pequenas coisas da vida.


Comente sobre isso

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s