8 curiosidades sobre minha vida literária

Todo escritor carrega consigo alguns segredos não tão secretos assim. Dentre esses segredos, existem manias camufladas em nossos hábitos ao qual trazemos conosco em cada linha da qual insistimos em criar. Dito isso, aqui estão 8 curiosidades sobre minha vida literária que eu nunca contei pra ninguém – até agora!

  1. Eu ainda tenho guardado num caderno, dentro do meu guarda roupa, poemas e crônicas do ensino fundamental.
  2. Eu não invento personagens, eu sempre faço da minha realidade e de pessoas conhecidas, os personagens das minhas obras.
  3. As vezes eu consigo escrever ouvindo qualquer tipo de música, outras vezes não.
  4. Eu deixo todos os meus textos para serem escritos no mesmo dia ou no dia anterior que eu tenho que enviá-los para alguém ou postar em algum lugar.
  5. Faz anos que eu uso “drogas” para obter inspiração.
  6. É raro eu comprar algum livro físico. A maioria dos que eu tenho foram presente, doação ou encontrei em uma cabine de leitura do metrô.
  7. Eu já desisti de ser escritora três vezes e fiquei sem escrever uma palavra se quer por mais de dois anos.
  8. Eu escrevo melhor quando estou com o coração partido por causa de mulher, em dias nublados ou em hospitais.

E você que é escritor, quais são os seus segredos literários não tão secretos?

8 comentários sobre “8 curiosidades sobre minha vida literária

  1. Algumas curiosidades:
    -Escrevo desde os 12 anos, tenho ou tinha, alguns cadernos completos de poemas que não faço ideia onde estão.
    -Utilizo o meu tempo livre lendo, escrevendo ou brincando com a minha filha ou meus cachorros.
    -O meu primeiro texto foi uma moda de viola chamada “Água no Leite”. Tenho um caderno com letras de modas caipiras que escrevi e as vezes toco em alguma reunião de amigos ou familiar.
    -Utilizo o Evernote e escrevo no celular o tempo todo.
    -Sou engenheiro e gosto de literatura clássica e filosofia, alguns dos meus poemas escrevo no trabalho.
    -Toco violão e viola caipira e musico alguns poemas de vez em quando.
    -Tenho livros que não publiquei e músicas que não gravei e nem sei se vão ser publicados ou gravados.
    -Sou egoísta e somente leio coisas que me fazem exercitar a minha escrita, por exemplo o seu Blog.
    -O meu poeta de referência é Carlos Drummond de Andrade e dialogo com ele a maior parte do tempo que escrevo.
    -Sou ateu mas me inspiro muito em deus para fazer a minha poesia.

    Curtido por 1 pessoa

  2. – Queimei meu primeiro livro – mas não me arrependo disso. Desde então parei no meio do caminho em alguns outros que comecei.
    – Geralmente escrevo de última hora, ou de supetão quando a inspiração vem.
    – Escrevo bem sobre coisas que nunca vivi, mas que carregam um pouco de mim – os textos no caso.
    – Tenho facilidade em escrever erótico, porem não são meus textos referidos.
    – Quando leio muito um autor minha escrita tende a ficar parecida com a dele no que diz respeito a sua estrutura, não sei se isso é algo positivo.
    – Somente há alguns anos comecei a guardar as coisas que escrevo, geralmente os deixava soltos ou jogava
    – É mais fácil escrever sobre coisas tristes ou melancólicas, textos que abordam felicidade me são sofridos
    – A maioria dos meus personagens são femininos e tristes ou melancólicos ou depressivos ou autodestrutivos ou cheios de raiva…

    Curtido por 1 pessoa

  3. Putz, fui por outra via mas todas que li até agora são ótimas! Sempre bom conhecer um pouco da essência de cada escritor e suas curiosidades da escrita. Nem me considero escritora porque me falta o essencial: disciplina. Sou péssima, nesse quesito e também me falta empenho. Escrevo quando dá vontade (risos). Quanto a escrever quando estamos mal, concordo. Meus melhores textos foram rescritos nessas circunstâncias.

    Curtido por 1 pessoa

  4. Sua escrita é demasiado existencialista… realista…leio-a sempre como gritos nem sempre, ou quase sempre, não ouvidos…
    Quanto a mim escrevo por terapia e indignação… talvez, até mais que inspiração…tenho uma escrita existencialista, também… mas, escrever em momentos de dor, parece-me sempre mais inspirador ou seria mais aliviador….?

    Curtido por 1 pessoa

Comente sobre isso

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s