MEU PODER

Flores são apenas flores

Não aliviam minhas dores

O gosto doce do chocolate

Não conforta a dor que me bate

Sou mulher e sou forte

Forte de verdade, sou resistência

Continuar lendo “MEU PODER”

Personagem: Mulher…

Na semana-mês que passou por mim, atribuíram-me uma vez mais o adjetivo característico durante uma fala: “achava que você era lésbica-sapatão”… devido ao meu jeito-estilo de ser-existir e de se vestir. Eu ri porque nunca me ocupei de rótulos. Não os atribuo, tampouco os considero para consumo. Nunca me preocupei com a imagem que o outro tem de mim… até por considerar impossível saber o que o outro vê quando me olha-observa. O olhar tem suas formas peculiares de rótulos e eu nunca me afeiçoei as fôrmas e suas formas. Sempre fui aquela que fugia das multidões, procurando o lado contrário, o canto oposto…

Continuar lendo “Personagem: Mulher…”

nas entrelinhas do (r)existir

quando nasci
abriram-me as pernas
é menina! é menina! anunciaram as enfermeiras
com certa euforia
de quem esconde o que está debaixo do nariz

Continuar lendo “nas entrelinhas do (r)existir”

Sarar e desprender, desprender e sarar

Às vezes, a minha alma pede desprendimento
E eu cá, obedeço.

Me lanço da vaga e exata latência
Entre não temer quase nada
E estar em paz
Elegendo minha melhor face:

Continuar lendo “Sarar e desprender, desprender e sarar”

Mais do que um simples corpo feminino

Eu sou mais do que um simples corpo feminino que vagueia neste planeta, também sou uma mente, também sou uma alma. Por vezes boa, outras má. Geralmente fico má quando sinto que me ofendem e que me desrespeitam além dos limites que eu tolero. Eu mulher, existo e nasci com escolhas. No final, tal como tu, serei a única que “responderei” pelo que escolhi fazer … Continuar lendo Mais do que um simples corpo feminino

Eu, Mulher, Existo e Resisto.

Eles chamam-me fraca,
Sou do sexo frágil,
Chorar e reclamar,
É tudo que sei fazer.

Continuar lendo “Eu, Mulher, Existo e Resisto.”

Bianca mudou

Já fazia algum tempo que Ronaldo via mudanças em sua princesa Bianca. Ela já não via os canais infantis, as unhas já não estavam mais pintadas de rosa. O cabelo de sua filha parecia maior e mais bonito e agora ele se perguntava em que raio de lugar venderia aquele baton preto que ela usava o dia todo.

Continuar lendo “Bianca mudou”

A mulher contemporânea — pela Literatura e pela História

Veja se concorda comigo.
Mulher é como a literatura. Duvido até mesmo que as questões existenciais e a arché dos antigos apresentassem tantas variações quantos foram os papéis das mulheres na história da humanidade.
No início, seu “endeusamento” se dava pela sua fertilidade: era símbolo de continuidade das gerações, da perpetuação da espécie humana. Muitas comunidades matriarcais se levantaram por conta dos descendentes desses seres quase celestiais ofertados pelos deuses para que a vida tomasse forma.

Continuar lendo “A mulher contemporânea — pela Literatura e pela História”

Presta bem atenção

Sempre que respiro sinto que o ar não me basta
Meus pulmões inflam, mas não se nutrem,
Dizem-me que esse ar é meu por direito
Tenho lá minhas dúvidas
Por que, então, quando encho meu peito
Sinto uma falta pútrida?

Continuar lendo “Presta bem atenção”

Eu, mulher sou flor

eu, liri(c)o

exalo o perfume

do teu corpo

e se me der lírios

dê-lírio de prazer

eu, girassol

você, meu sol

juntos, faíscas

Continuar lendo “Eu, mulher sou flor”