Carta para meu autor favorito

Buk,

Minha cueca está rasgada na bunda e o tecido da cadeira de plástico faz suar o buraco mais escuro. Há dias venho acordando cedo pra caralho para produzir coisas, editar coisas e falar com pessoas que não conheço. Todo santo dia eu vejo Carolina se vestir de forma apressada entre 6:50 e 7:10 da manhã, enquanto eu tenho os raios de sol inundando minha janela que nunca é fechada durante a madrugada. É sempre o mesmo ritual de calejar os dedos martelando em teclas pequenas, encarar a página em branco, olhar pela janela, obsevar o topo das casas e dos prédios, ouvir os motores arrancando de lá pra cá e beber dúzias de cervejas pretas vencidas.

Continuar lendo “Carta para meu autor favorito”

Blogagem Coletiva | Meu personagem favorito

Há algo de imortal e puramente difícil na amplitude de sentimentos que Hank ou melhor, Henry Chinaski desperta na escuridão do meu ser. Meu personagem favorito me resgatou da bolha invisível da qual eu me tornará naquela altura da vida, totalmente imparcial com relação a existência terrestre. Hank e seu modo de costurar as palavras de uma maneira que sempre acabava por me atingir bem na boca do estômago.  Continuar lendo “Blogagem Coletiva | Meu personagem favorito”

Garota Bukowskiana

Querida amada, observo as chamas em capas pretas com tipografias douradas enquanto uma pequena parcela do sol cobre as sombras de minhas mãos negras após cinco minutos de chuva. Parece que há outra de mim dentro de mim mesma, pois o grande peso da barriga soma a falta de fôlego e a dormência de minhas pálpebras. Sinto que preciso me subtrair, mas nunca existe divisão o bastante para que o mundo me impeça. Continuar lendo “Garota Bukowskiana”