Tudo Puta!

Ela galopou através do deserto e estacionou seu pequeno jegue em minha varanda, trouxe consigo um punhado de facas sem cabo, chupetas sem alça, e dois isopores vazios.

A convidei para tatear o solo azulejado enquanto ela dizia:

– Ei, olha o que eu trouxe lá de casa para você, querida.

E eu disse:

– Ok. Ponha as facas na cozinhas junto com as chupetas e deixe os isopores atrás da porta da sala. Continuar lendo “Tudo Puta!”