Fragmentos sobre ELA

Sinto o peso que os calafrios me trazem quando penso no amor como algo novo.

Logo eu, que prometi a mim mesma nunca mais entregar meu coração solitário nas mãos amputadas de alguém sem complacência com os sentimentos alheios. E olha eu aqui, escrevendo sobre a novidade que nos engasga toda vez que pigarreamos sobre os efeitos de outra pessoa em nós.

Continuar lendo “Fragmentos sobre ELA”