Qual é o preço de uma pessoa invisível?

Hoje foi meu primeiro dia de aula na faculdade depois das férias. Coloquei o essencial na mochila: 1 livro, 1 guarda chuva, 1 suéter, 1 garrafa de 500ml de água, 1 pacote de biscoitos com 3 bolachas dentro. Vesti uma calça depois de quase dois meses sem usar uma roupa que não fosse um pijama. Atualizei minha playlist de música, deixei pendurado na altura do meu peito os fones de ouvido, coloquei no bolso traseiro do lado esquerdo da calça, um lenço, como aqueles de pessoas idosas, na cor azul claro e, finalmente sai as ruas rumo ao bairro Liberdade com uma extrema vontade de andar de ônibus. Continuar lendo “Qual é o preço de uma pessoa invisível?”

Volta às aulas

O útero se esvai em gotas quentes enquanto uma maré de dores transa com minha personalidade. Raiva é tudo o que sinto, angustia é tudo o que sinto, solidão é meu segundo nome agora.

O espelho me chama, mas eu o ignoro. Hoje não. Imagina… Logo eu, num dos meus dias de extrema derrota. Estou feia, acabada, desvalorizada, louca para ceder ao desencanto da vida.   Continuar lendo “Volta às aulas”