Eu Fragmentada

Eu Fragmentada

Eu escrevo para dar vazão, perante a falta de coragem que eu tenho mediante as diversas coisas que costumo enfrentar no meu dia a dia. Eu escrevo porque, necessito cuspir para fora da garganta todos os nós que me prendem. Eu escrevo, pois me reconheço como detentora de uma força maior que me impulsiona a passar para o papel, tudo aquilo que as outras pessoas querem não ver.

Continuar lendo “Eu Fragmentada”
Vipassana, de Mara Romaro

Vipassana, de Mara Romaro

Era tarde, porém ainda era dia. Sol a pino, ruas a fervilhar em mares de corpos frescos e sedentos. Peguei o elevador, subi até o décimo primeiro andar, sentei-me em frente à piscina, retirei os sapatos dos pés, os molhei de forma rápida, retirei Vipassana da mochila, olhei novamente para os arredores de mim, deite-me com as costas coladas ao chão, olhei para o sol, me entreguei à leitura.

Continuar lendo “Vipassana, de Mara Romaro”

Você já publicou seu livro?

Escritor, você tem um ou mais livros publicados? E agora que você é um escritor publicado, como que anda a imagem do seu livro? Quantas pessoas estão lendo a sua obra? Para ser mais exata, as pessoas sabem que você já publicou um livro algum vez na vida?

Beleza, você escreveu… publicou, tanto por uma editora quanto de forma independente mas ainda assim sobrou um monte de exemplares parados na sua estante e você deseja que outros leitores e também outros escritores possam ler o que você escreveu?

Você já pensou que, ao invés de deixar seu livro na prateleira da sua casa, você pode deixar o seu livro exposto numa estante virtual?

Continuar lendo “Você já publicou seu livro?”

Livro Proibido

Atrás de um montante de apostilas escolares e amontoados de folhas velhas, que toda vez que eu as olhava me jogavam num morro gigante de lembranças infantis solitárias. Empilhadas de forma vertical, diversas apostilas utilizadas traziam o meu nome e minha série. Um dia, ao entrar no quartinho dos fundos onde toda a bagunça que minha mãe juntara por anos consecutivos de vida, avistei atrás destes zilhões de lembranças desconfortáveis um livro de páginas amarelas faltando a contra capa e uma das orelhas, o nome que restara do que já foi um livro inteiro um dia era – A queda para o alto de, Mara Herzer.

Continuar lendo “Livro Proibido”
Indicação de livros escritos por: Novos Autores

Indicação de livros escritos por: Novos Autores

Escritores/Leitores

Livros sempre são transformadores e um ótimo refúgio para sair da nossa própria realidade e embarcar num outro mundo que por nós muita das vezes é apenas utópico.

Quando se trata de literatura, sempre nos deparamos com grandes escritores famosos que são seres supremos ou então já estão mortos. Mas, e os escritores que são tão bons quanto, porém ninguém nunca ouviu falar nada sobre eles? Esses desconhecidos do mundo literário se chamam escritores independentes! Continuar lendo “Indicação de livros escritos por: Novos Autores”

Plural | Redemoinho — Scenarium livros artesanais

 

Por, Lunna Guedes

 

Caros leitores,

Além de me aventurar pelas postagens aqui na A Estranhamente, minhas linhas também possuem o costume de serem traçadas nas revistas literárias da editora, Scenarium PluralEsse último mês pra finalizar o ano com chave de ouro e muita literatura, a escritora, editora e artesã Lunna Guedes, abordou na revista Plural deste mês o tema Golpe de 64… Aproveitando que estamos passando por um cenário político que nos remete a lembranças mórbidas daquela época, eu e mais 12 escritores compomos textos vorazes sobre o tema que tanto nos ronda em meados do século XXI. A seguir, Lunna escreveu suas considerações sobre a Plural deste mês… Acompanhem. Continuar lendo “Plural | Redemoinho — Scenarium livros artesanais”

PROJETO FOTOGRÁFICO 6 ON 6 | LIVROS

A uma segunda derme que me reveste, posso sentir o chiar das bolhas invisíveis que brotam das pintas e das verrugas. Na madrugada tudo em mim fica mais rijo, mais firme, como se eu fosse capaz de criar dentro de mim um ser que nunca haveria de ser planejado. Me esquento tão vorazmente na mesma proporção que esguicho água fria pelas entranhas. Engulo um grande pedaço de carne bovina coagulada, meio mole, meio fétida. Transformo-me. Transfiguro-me. Transpasso-me.

Livros são em mim, uma mistura de água de privada com adoçante de marca barata. Continuar lendo “PROJETO FOTOGRÁFICO 6 ON 6 | LIVROS”

Como escolho os livros que leio

Para finalizar o maratone-se deste mês de outubro, os livros que eu escolho para ler depende muito do meu estado de espírito e da minha disposição pra leitura. Há dias que eu faço questão de ler algo grande e robusto, livros de trezentas páginas adiante, outros dias eu sinto imensa vontade de ler algo fino e gostoso, coisas menores como poesia. Existem certos períodos que eu encaixo minhas leituras de acordo com o gênero literário que eu esteja escrevendo. Quando estou muito na fissura de ler, vou até a biblioteca da faculdade e pego de três a quatro livros diferentes, porém, fielmente, sempre pego no minimo duas obras sobre psicologia.   Continuar lendo “Como escolho os livros que leio”