Trocas com, Renata Leão

Entorpecer para não enlouquecer, Maria Vitoria

O cérebro esguicha um torpor pesado, é preciso então esvaziar toda essa insanidade.

As ideias correm rápidas demais, por vezes, passo de dois a três dias ininterruptos tragando os estigmas da vida e a concepção de nossa própria racionalidade. Diante disto, é preciso defecar restos de mim que se somam a cada segundo, gerando o endurecer e o putrificar de um vômito calejado. Às vezes, é necessário que eu mesma me fuzile num muro desprovido de cores. Eu também bebo. Eu também masturbo-me. Eu também jogo aos pulmões uma espécie de câncer incurável.

Enlouqueço caso eu não expulse o eu de mim, porque mim; é poema.


A embriaguez veio de brinde, Renata Leão

Acordei com o corpo enfraquecido e dolorido, comecei o dia como se tivesse
bebido todas durante a madrugada.
Meu corpo está de ressaca mas nenhuma gota de álcool passou pelos meus lábios.
Busco respostas para essa sensação. Na memória procuro lembranças que possam me ajudar, relembro…
Um amigo fez do meu colo divã. A noite e madrugada adentro eu ouvi histórias de corações partidos, inseguranças e o desejo de ter um amor.
Bebi tristeza e insegurança ao som de músicas tristes e nem percebi que a embriaguez veio de brinde. Não precisei de bebida alcoólica, pois a tristeza me entorpeceu.

PROJETO FOTOGRÁFICO 6 ON 6 | PRETO & BRANCO

No contraste das não-cores, existe um cinza que me move, que me toca, que me comove, que me acentua… O melhor de mim é cinza e acredito que essa de fato seja a cor mais quente.

@a_estranhamente
@a_estranhamente

Homens negros trabalhando bem atrás de um canteiro com a pichação: EDUCAÇÃO PÚBLICA DE QUALIDADE. Continue lendo “PROJETO FOTOGRÁFICO 6 ON 6 | PRETO & BRANCO”

Tateio o céu de minha boca e meu cérebro coça. Os tímpanos se fecham e algumas palavras ficam turvas.

Desesperada.
“Grita alguém”

Olhos correm apressados junto com os trilhos estáticos. As retinas chega brilham de tão focadas que estão no vazio de sua própria existência.

A entoação da voz sobe.
Mais uma vez soa, “Desesperada”

Sapatenis preto. Calças azuis e blusa camuflada.

“Silêncio”.

Olhar. Fracionar. Se redimir

Olhos seguem os passos pelo lado de dentro das vitrines, enquanto os olhos que transitam do lado de fora no carregar de seus próprios calcanhares grossos e cascudos, não são capazes de notar que uma grande orquestra de olhos funciona a medida que um conjunto de “anormalidades”, passa pelos trilhos e se vai para sempre.

Do lado de fora alguém sorriu sozinho. Através dos vidros frágeis podia-se notar olhares de repulsa e asco. É possível ver através de uma invisibilidade superficial o quanto os olhos são o próprio reflexo de ódio subjetivo.

Fechados, apertados, aquecidos por luzes artificiais, fétidos, infelizes, orando, chorando, comendo, dormindo, lendo, brigando, sentado, de pé, conscientes ou inconscientes. Há corpos trancafiados em caixões de vidro sem prego e eles não são capazes de notar que ainda estão vivos e respiram insegurança.

Existe eu. Pessoas como eu. Diferentes de mim… Tudo fora das caixas, porém também olhamos os enjaulados de forma curiosa ao mesmo tempo que temos refluxos gástricos. Associamos todos a animais extintos e esquecemos previamente o quanto somos a caça.

Olhar através de paredes de vidro é o mesmo que jogar nossa integridade em abismos ao mesmo tempo que tentamos nos burlar de nossas próprias falhas e pecados.

Olhar-se para reexistir.

DESAFIO LITERÁRIO

O QUE OS CHEIROS CAUSAM EM VOCÊ?


 

Escreva um texto no formato que desejar sobre o tema: O cheiro.

Não importa se você vai escrever em formato de: poema, crônica, conto, carta, dissertativo ou frase. O que importa é escrever e praticar a escrita criativa.

Quais as regras?

1) Enviar texto para o endereço: vickjoselita@gmail.com até o dia 10/12

2) No corpo (assunto) colocar (seu nome)

3) No corpo do e-mail anexar ou escrever seu texto e suas redes sociais

Quantos serão selecionados?

Serão selecionados 5 textos para serem publicados no blog: A Estranhamente

Observação:

Se você for um dos autores selecionados é necessário que você compartilhe o artigo escrito com seu texto vencedor nas suas redes sociais.


E AÍ, O QUE VOCÊ TEM A DIZER SOBRE O CHEIRO?

Plural | Redemoinho — Scenarium livros artesanais

 

Por, Lunna Guedes

 

Caros leitores,

Além de me aventurar pelas postagens aqui na A Estranhamente, minhas linhas também possuem o costume de serem traçadas nas revistas literárias da editora, Scenarium PluralEsse último mês pra finalizar o ano com chave de ouro e muita literatura, a escritora, editora e artesã Lunna Guedes, abordou na revista Plural deste mês o tema Golpe de 64… Aproveitando que estamos passando por um cenário político que nos remete a lembranças mórbidas daquela época, eu e mais 12 escritores compomos textos vorazes sobre o tema que tanto nos ronda em meados do século XXI. A seguir, Lunna escreveu suas considerações sobre a Plural deste mês… Acompanhem. Continue lendo “Plural | Redemoinho — Scenarium livros artesanais”

Trocas com, Renata Leão

As marcas que deixei por, Maria Vitoria

Os pulsos são a ciência que eu sempre terei de comprovar o quanto sofri. Sim, estes mesmos pulsos lambidos pela lâmina cega todo dia de forma pontual às 20:35 da noite.
As figuras icônicas nas paredes de tinta branca me fazem transbordar para doze anos atrás quando eu ainda tinha minha coluna no encaixe do tapete de tranças negras e vermelhas, costuradas por um preço barato.
Por falar em costuradas, posso perfeitamente agora sorrir ao tocar as cicatrizes que trago em meu peito de forma sutil e singela. Continue lendo “Trocas com, Renata Leão”

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: